Comunicados de imprensa


Galp Solar traz nova energia a quem quer produzir a sua própria eletricidade - <ul> <li>Nova marca Galp Solar vai concentrar a oferta de soluções de energia fotovoltaica para autoconsumo da ei energia independente</li> <li>Em pouco mais de um ano, a empresa conquistou mais de 4000 clientes, famílias e empresas ibéricas interessadas em adotar um novo relacionamento com a energia</li> </ul>
Edição de Natal “Todos Os Passos Contam” oferece 150 mil refeições a famílias - <ul> <li>Em poucas semanas, a Galp recebeu mais de 5.530 participações neste desafio de Natal, somando um total de 150 mil km percorridos</li> <li>Foram entregues 100 mil refeições através da Rede de Emergência Alimentar em Portugal e outras 50 mil a organizações em Espanha, Brasil, Moçambique e Eswatini;</li> <li>Cláudia Vieira e Pedro Ribeiro deram a cara pela iniciativa, que promoveu o espírito de so-lidariedade dos portugueses e envolveu todos os participantes na missão de construir uma sociedade melhor;</li> </ul>
Galp lança programa inovador de literacia em dados para todos os seus colaboradores - <ul> <li>Formação inédita em Portugal foi desenvolvida em parceria com a Porto Business School e com a IDC Portugal e reforça a nova componente data driven da energética</li> <li>Programa disponível para os mais de 6 mil colaboradores da Galp visa aumentar a compreensão coletiva dos negócios orientados por dados</li> </ul>
Galp e Northvolt estabelecem joint venture ‘Aurora’ para desenvolver instalação de conversão de lítio - <ul> <li>Galp e Northvolt estabelecem joint venture &ldquo;Aurora&rdquo; para criar oportunidades relacionadas com o rápido crescimento da cadeia de valor das baterias</li> <li>A joint venture, que tem como base uma participação de 50/50, está empenhada no desenvolvimento da maior e mais sustentável fábrica de conversão de lítio da Europa, que se situará em Portugal, com uma capacidade de produção anual de até 35.000 toneladas de hidróxido de lítio e com o início das operações comerciais em 2026</li> <li>O projeto enquadra-se nos esforços de industrialização portugueses e europeus relacionados com a transição energética e constitui um marco no desenvolvimento de uma cadeia de valor das baterias europeia</li> <li>A joint venture irá também analisar outras oportunidades de negócio ao longo da cadeia de valor e está empenhada em adotar, em todas as suas atividades, as abordagens mais adequa-das do ponto de vista ambiental</li> </ul> <p>&nbsp;</p>
Galp retoma “Todos Os Passos Contam” para oferecer 100 mil refeições no Natal - <ul> <li>Iniciativa que transforma quilómetros percorridos em refeições regressa para promover a solidariedade dos portugueses no Natal</li> <li>Passeios de bicicleta, corridas ou caminhadas serão convertidas em ajuda a famílias atra-vés da Rede de Emergência Alimentar</li> <li>Primeira edição gerou adesão massiva dos portugueses e doou 1 milhão de refeições ao fim de apenas 3 meses</li> </ul>
Galp aquece paragens de autocarro em Lisboa e no Porto com anúncio inovador do Hotspot - <ul> <li>Desenvolvida em parceria com a DDB, a Mediacom e a JCDecaux Portugal, a ativação está a surpreender os utentes de transportes públicos com mupis que emanam calor</li> </ul>
DJSI reconhece Galp como a empresa mais sustentável do mundo no seu setor - <ul> <li>Energética portuguesa lidera pela primeira vez o ranking mundial de sustentabilidade do Dow Jones Sustainability Indices no setor Oil &amp; Gas Upstream &amp; Integrated</li> <li>Com este #1 no ranking, a Galp tem a melhor pontuação dos últimos 10 anos de presença nestes índices, que distinguem as melhores práticas nas dimensões ambiental, social e de governo</li> </ul> <p>A Galp é a empresa mais sustentável do mundo no sector de Oil &amp; Gas Upstream &amp; Integrated em 2021, de acordo com os critérios do Dow Jones Sustainability Indices (DJSI), um dos principais índices de referência internacionais sobre as melhores práticas nas dimensões ambiental, social e de governo em empresas líderes em sustentabilidade a nível global.</p> <p>É a primeira vez que a energética portuguesa alcança esta distinção nos 10 anos de presença no ranking DJSI melhorando assim a sua prestação neste ranking face ao terceiro lugar que ocupara na avaliação de 2020.</p> <p>&ldquo;Este reconhecimento evidencia a estratégia da Galp em descarbonizar progressivamente o seu portfólio e operações. Na Galp, temos vindo a apostar tanto na melhoria da sustentabilidade das nossas operações como no investimento em novas fontes de energia limpas. Defendemos a divulgação transparente do nosso desempenho hoje assim como o estabelecimento de metas de longo prazo. Este reconhecimento premeia o progresso que fizemos até agora, bem como o nosso caminho para regenerar o futuro junto com os nossos clientes e com a sociedade &quot;, destaca Andy Brown.</p> <p>No DJSI World, a Galp foi a primeira entre as 54 companhias analisadas. &nbsp;</p> <p>De acordo com os resultados de 2021 do índice DJSI, a Galp lidera nas categorias de &ldquo;Estratégia Climática&rdquo;, &ldquo;Riscos Relacionados com Água&rdquo;, &ldquo;Reporte Ambiental&rdquo;, &ldquo;Reporte Social&rdquo;, e &ldquo;Indicadores de Práticas Laborais.&rdquo;</p> <p><br /> <strong>Sobre o Dow Jones Sustainability Indices</strong></p> <p>O índice DJSI foi criado pela S&amp;P, Dow Jones e SAM em 1999 como o primeiro indicador da performance financeira das empresas líderes em sustentabilidade a nível global. Os membros deste Índice são classificados como as empresas mais capazes de criar valor para os acionistas a longo prazo, através de uma gestão eficaz dos riscos associados a fatores económicos, ambientais e sociais.&nbsp;</p>
Unidade que vai produzir primeiro GNL na Área 4 de Moçambique pronta a partir da Coreia do Sul - <ul> <li>O projecto Coral-Sul, com início de produção previsto para 2022, irá trazer Moçambique para o pequeno grupo dos produtores e exportadores de GNL</li> <li>Com 432 metros de comprimento e 66 de largura, a unidade pesa cerca de 220.000 toneladas e tem a capacidade de acomodar até 350 pessoas</li> </ul>
Resultados do 3º trimestre e primeiros nove meses de 2021 - <p><strong>A Galp apresenta hoje os resultados do terceiro trimestre e primeiros noves meses de 2021.</strong></p> <p><em>A Galp apresentou um conjunto de resultados robustos este trimestre, capturando a melhoria das condições macroeconómicas, nomeadamente os preços mais elevados do Brent, as melhores margens de refinação internacionais e os preços favoráveis de eletricidade na Península Ibérica. O nosso Ebitda ultrapassou os &euro;600 m, num trimestre onde enfrentámos ainda alguns desafios operacionais, o que nos dá margem para melhorar ainda mais o nosso desempenho no futuro.</em></p> <p><em>A nossa geração de caixa refletiu um efeito temporário relacionado com os nossos derivados para a mitigação do risco associado às diferenças de preços entre o aprovisionamento e fornecimento de gás natural, os quais foram impactados pela recente volatilidade registada nos mercados. Embora o nosso rácio de dívida líquida para Ebitda tenha aumentado ligeiramente, continuamos confiantes que o nosso fluxo de caixa vai permitir uma desalavancagem o que, juntamente com o caráter temporário destes efeitos, suportará uma remuneração acionista competitiva em relação a 2021.</em></p> <p><em>Continuámos a nossa execução de acordo com o nosso compromisso de crescimento, tanto nos nossos negócios tradicionais como na expansão dos nossos projetos de energias renováveis, tendo igualmente dado passos importantes para assegurar o acesso a financiamento e desenvolvimento dos nossos negócios de baixo carbono. Estamos entusiasmados com a continua execução desta nossa aposta estratégica para os Renováveis, onde expandimos dentro e fora da Península Ibérica com a entrada no Brasil, contando atualmente com um portefólio de c.4,7 GW de capacidade bruta. Estes são tempos importantes na história da Galp e estou confiante de que estamos no caminho certo para prosperar na transição energética.</em></p> <p><strong>Andy Brown, CEO da Galp</strong></p>
BEI e Galp acordam o financiamento de €732 milhões para promover ações climáticas e a coesão social em Espanha e Portugal - <p><strong>Três empréstimos assinados entre o BEI e a Galp num montante total de &euro;406.5 milhões:</strong></p> <ul> <li>Empréstimo de energia verde do BEI no valor de &euro;325 milhões para financiar parques solares da Galp com uma capacidade total de cerca de 2 GWp em Espanha. Adicionalmente, foi aprovado um montante de &euro;325 milhões para ser emprestado pelo BEI sob o formato de Project Finance, numa fase posterior.</li> <li>Empréstimo de energia verde do BEI no valor de &euro;40 milhões para financiar parques solares da Galp com uma capacidade total de 144 MWp no Algarve, Portugal.</li> <li>Empréstimo de &euro;41,5 milhões do BEI para apoiar o projeto de mobilidade elétrica da Galp, que consiste na implantação de 5.500 pontos de carregamento em toda a Península Ibérica.</li> </ul> <p>O Banco Europeu de Investimento (BEI) e a Galp assinaram três acordos de financiamento para a construção de parques de energia solar e a implantação de estações de carregamento de veículos elétricos (VE) em toda a Península Ibérica, promovendo ações climáticas e a coesão social em algumas das regiões mais frágeis em matéria de resiliência climática e económica.</p> <p>Globalmente, Galp e o BEI assinaram um financiamento total de &euro;406,5 milhões, o qual poderá aumentar até &euro;731,5 milhões numa fase posterior, com um montante adicional aprovado de &euro;325 milhões. No total, os três projetos apoiam ações climáticas e a coesão social, e irão gerar em média um total de 3,6 TWh de energia renovável/ano, o equivalente ao consumo de energia de aproximadamente 940.000 lares.</p> <p>O banco da UE está altamente empenhado com os esforços da União Europeia para ser <em><a href="https://ec.europa.eu/clima/policies/strategies/2050_en" target="_blank">climate-neutral até 2050</a></em>. Através do <em><a href="https://www.eib.org/en/press/all/2020-307-eu-member-states-approve-eib-group-climate-bank-roadmap-2021-2025" target="_blank">Climate Bank Roadmap</a></em>, o BEI pretende mobilizar &euro;1 trilhão para investimentos em ações climáticas e de sustentabilidade ambiental, durante a década crítica que termina em 2030. Para esse efeito, o Banco irá aumentar gradualmente o financiamento que atribui a estes objetivos para 50% até 2025.</p> <p>A Galp está totalmente empenhada em ser uma empresa <em>net zero emissions</em> até 2050, com objetivos de descarbonização intermédios até 2030. Na sua jornada transformacional, a Galp é um dos principais produtores de energia solar fotovoltaica na Península Ibérica, e comprometeu-se a atribuir metade do seu <em>capex</em> líquido de 2021-2025 a projetos relacionados com a transição para um modelo energético de baixo carbono, incluindo 30% em energias renováveis e 5% em novos negócios.</p> <p><em>&quot;Temos o prazer de apoiar a Galp no seu percurso de descarbonização e unir forças para promover ações climáticas e a geração de energia renovável tanto em Espanha como em Portugal. Estes três projetos contribuem para os objetivos estabelecidos no Green Deal da UE e irão apoiar os objetivos de descarbonização dos países, ao mesmo tempo que impulsionam o crescimento económico, a criação de emprego e a coesão social&quot;,</em> disse o <strong>Vice-Presidente do BEI, </strong><strong><a href="https://www.eib.org/en/about/governance-and-structure/statutory-bodies/management-committee/members/ricardo-mourinho-felix.htm" target="_blank">Ricardo Mourinho Félix</a></strong><strong>.</strong><em> &quot;Voltar a construir melhor, mais verde e mais justo não é apenas um slogan, mas um imperativo. Não há vacina para prevenir a crise climática. A única forma de avançar é promover investimentos verdes e sustentáveis e assegurar uma transição justa para todos. O BEI está 100% comprometido com este objetivo; ação climática e a transição justa está no nosso ADN&quot;.</em></p> <p><em>&ldquo;O compromisso da Galp em se tornar uma empresa neutra em carbono obriga-nos a sermos ousados nas ações que tomamos hoje, enquanto nos certificamos de que prosperamos durante a transição energética&quot;, refere o CEO da Galp&nbsp;</em><a href="https://www.galp.com/corp/en/corporate-governance/governing-model-and-bodies/executive-committee" target="_blank"><strong>Andy Brown</strong></a>. &ldquo;<em>O nosso plano de reformular o nosso portfólio já está em curso, com a Galp a acelerar a integração de soluções energéticas de baixa ou nenhuma presença de carbono nos nossos negócios. O apoio do BEI é fundamental para nos ajudar a aumentar o ritmo de desenvolvimento desses projetos&quot; acrescentou.</em></p> <p><strong>Empréstimo do BEI de </strong><strong>&euro;325 milhões para financiar o projeto fotovoltaico da Galp, o qual consiste num portfólio com uma capacidade de cerca de 2 GWp de parques de energia solar em Espanha</strong></p> <p>O maior acordo anunciado hoje consiste num empréstimo de energia verde do BEI no montante máximo de &euro;325 milhões, com o objetivo de financiar a construção de um grande número de parques de energia solar em Espanha, as quais estão a ser desenvolvidas pela Galp e cuja construção deverá começar nos próximos três anos, incluindo a infraestrutura auxiliar de interligação à rede. O portfólio destes sistemas inclui parques de energia solar fotovoltaicas de grande escala com uma capacidade total de cerca de 2 GWp, equivalente ao consumo anual de energia de 866.400 lares. Um montante adicional de &euro;325 milhões poderá também ser assinado sob o formato de <em>Project Finance</em> numa fase posterior, o que significa que o financiamento global do BEI para este projeto poderá ascender a &euro;650 milhões.</p> <p>Com dimensões que variam entre 24 MWp e 449 MWp, os parques de energia solar estarão localizados em todas as regiões da coesão de Espanha (Andaluzia, Aragão, Castela-Mancha e Estremadura).</p> <p>O financiamento do BEI irá promover a segurança do fornecimento energético, a luta contra as alterações climáticas, a criação de emprego e a coesão social, contribuindo simultaneamente para os objetivos espanhóis em matéria de energias renováveis estabelecidos nos Planos Nacionais Integrados para a Energia e o Clima (PNE).</p> <p><strong>Empréstimo do BEI de &euro;40 milhões para financiar o projeto fotovoltaico da Galp, o qual consiste em parques de energia solar fotovoltaicas com uma capacidade de 144 MWp na região do Algarve, Portugal</strong></p> <p>Como resultado do segundo acordo, o BEI irá conceder um empréstimo de energia verde de &euro;40 milhões à Galp para a construção e exploração de quatro parques de energia solar fotovoltaica interligados com uma capacidade total de 144 MWp no Algarve (sul de Portugal), no município de Alcoutim (Viçoso, 48,0 MWp; Pereiro, 18,7 MWp; São Marcos, 48,9 MWp; e Albercas, 28,4 MWp).</p> <p>Uma vez operacionais, espera-se que os quatro parques de energia solar produzam em média 230 GWh de energia renovável por ano, o equivalente ao consumo anual de energia de 72.800 lares. O acordo contribui para o objetivo vinculativo da Comissão Europeia de ter pelo menos 32% do consumo final de energia proveniente de fontes renováveis até 2030. Este projeto irá também ajudar Portugal a cumprir os seus objetivos do Plano Energético e Climático, que preveem 47% de fontes renováveis no consumo final bruto de energia até 2030.</p> <p>A produção bruta total da Galp em termos de geração operacional e de desenvolvimento de energias renováveis totaliza 4,7 GW distribuída por Portugal, Espanha e recentemente pelo Brasil, dos quais 926 MW já estão em funcionamento. A Empresa tem a ambição de, globalmente, superar 4 GW e 12 GW de capacidade operacional bruta até 2025 e 2030, respetivamente.</p> <p><strong>Empréstimo do BEI de &euro;41,5 milhões para promover o projeto de mobilidade elétrica da Galp, o qual consiste na instalação de pontos de carregamento de VE em Espanha e Portugal</strong></p> <p>O sector rodoviário é responsável por três quartos de todas as emissões dos transportes na União Europeia e não será possível atingir o objetivo da UE de neutralidade carbónica até 2050 sem uma mudança crucial para a mobilidade elétrica no sector rodoviário. Para contribuir para o objetivo da UE de implementar um milhão de estações de carregamento e reabastecimento nas estradas europeias até 2025, o BEI irá providenciar à Galp &euro;41,5 milhões para apoiar a implantação de uma rede de carregamento para VE distribuída por Espanha e Portugal.</p> <p>O projeto prevê a implantação de 5.500 pontos de carregamento até 2025, 55% dos quais serão localizados em regiões menos desenvolvidas e de coesão de transição em toda a Península Ibérica. Espera-se também que o acordo contribua para o desenvolvimento do mercado de infraestruturas de carregamento de veículos elétricos, melhorando o desempenho tecnológico, reduzindo os custos iniciais de equipamento, e mobilizando investimentos nas indústrias de veículos elétricos, contribuindo assim para veículos mais eficientes e acessíveis.</p> <p>Em conformidade com a Política de Empréstimos para Transportes do BEI, o projeto é apoiado pelo <em>Cleaner Transport Facility</em> (CTF) e beneficia do <em>Connecting Europe Facility Debt</em>, um instrumento financeiro que apoia os objetivos do CTF.</p> <p>A Galp tem a intenção de expandir a sua oferta de postos de carregamento para 10.000 até 2025 na Península Ibérica.</p>
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59

Imprimir

Partilhar: