Reporting

A divulgação de informação fiável sobre a nossa atividade faz parte do nosso compromisso de estabelecer uma relação sólida com os stakeholders, baseada num diálogo claro, transparente e contínuo.

O nosso relato de informação não financeira destina-se a providenciar uma visão global, transparente e rigorosa, dos processos através dos quais criamos valor económico, ambiental e social. Esta informação é apresentada publicamente, e submetida a verificação por terceira parte, no relatório integrado anual da empresa, no nosso website e em outros suportes de comunicação relevantes, como é o caso da nossa Tabela GRI Standards, que inclui igualmente a demonstração do alinhamento com os princípios do United Nations Global Compact (Communication on Progress) e com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, e a Tabela TCFD com a nossa resposta às recomendações da TCFD – Task Force on Climate Financial Disclosures.

Divulgamos a nossa informação não financeira em linha com as normas aplicáveis e as diretrizes globalmente reconhecidas, nomeadamente:

  • As diretrizes para o reporte integrado do Value Reporting Foundation (VRF);
  • As diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), versão GRI Standards, na opção "em referência às normas GRI", incluindo as diretrizes da norma GRI 11 para o setor Oil & Gas;
  • As diretrizes do Sustainability Accounting Standards Board (SASB) para Oil & Gas (Exploration & Production, Midstream e Refining & Marketing Standards);
  • Os princípios de inclusão, materialidade, capacidade de resposta e impacto, constantes da norma da AccountAbility, AA1000 AccountAbility Principles Standard (AA1000AP 2018);
  • As recomendações da Task Force on Climate-related Financial Disclosure (TCFD) do Financial Stability Board (FSB), relativas à divulgação dos riscos financeiros relacionados com o clima;
  • Os princípios do United Nations Global Compact (UNGC); 
  • O World Economic Forum, Measuring Stakeholder Capitalism metrics and disclosure;
  • Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS);
  • As normas relativas ao reporte de informação não financeira introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 89/2017 de 28 de julho.

Monitorização e verificação do desempenho

Na Galp, a monitorização do desempenho não financeiro é um instrumento-chave de gestão para a concretização de objetivos e metas para alcançar a excelência operacional e garantir a licença para operar.

A evolução do desempenho e os principais Key Performance Indicators (KPI) são monitorizados pelos diferentes níveis da Organização, no seio do Comité de Sustentabilidade, do Conselho Segurança, Saúde e Ambiente (SSA) e das Comissões e Sub-Comissões de SSA, e comunicados trimestralmente à Gestão de Topo.

O reporte e a monitorização de indicadores é suportado por instrumentos e ferramentas internas que permitem sustentar os processos de registo e cálculo de indicadores nas vertentes de ambiente, incluindo pegada de carbono, qualidade, segurança e de outras áreas relevantes em matéria de sustentabilidade.

Estas ferramentas, que construímos e uniformizámos ao longo do tempo, permitem:

 

Os indicadores e informação de desempenho, de reporte interno e externo, são sujeitos regularmente a um trabalho de verificação, realizado em conformidade com a Norma Internacional sobre Trabalhos de Garantia de Fiabilidade (ISAE) 3000 (Revista) "Trabalhos de Garantia de Fiabilidade que Não Sejam Auditorias ou Revisões de Informação Financeira Histórica", emitida pelo International Auditing and Assurance Standards Board da International Federation of Accountants, por parte de entidades externas, independentes e acreditadas para o efeito.

Neste sentido, submetemos a verificação externa informação relevante publicada nos diferentes canais de comunicação de sustentabilidade.

Imprimir

Partilhar: