Estratégia

A Galp posiciona-se como uma empresa integrada de energia, que desenvolve negócios rentáveis e sustentáveis.

Antevê-se que a próxima década seja de profunda transformação. As imposições regulatórias, os desenvolvimentos tecnológicos e os custos cada vez mais reduzidos das opções de baixo carbono vão levar a sociedade a acelerar cada vez mais em direção a um futuro mais limpo. A Galp não quer apenas seguir esta tendência, mas sim assumir um papel ativo.

Acreditamos que a mudança deve começar na nossa cultura, e é por isso que definimos um novo propósito para a Galp: ‘Vamos regenerar o futuro juntos’. Este é um propósito que engloba o nosso portfólio, as nossas relações, mas também as nossas pessoas, e que vai definir o rumo para que, interna e externamente, nos adaptemos ao futuro.

Todas estas mudanças serão refletidas no nosso portfólio. Na primeira metade da década, pretendemos alocar 50% do nosso capital a produtos de baixo carbono. Até 2030, pretendemos ter um portfólio global mais eletrificado, diversificado e descarbonizado, oferecendo aos nossos acionistas uma combinação de crescimento de longo prazo e oportunidades de valor no setor de energia. Adicionalmente, a nossa estratégia assenta em diretrizes claras de alocação de capital, com um sólido plano de investimentos e uma remuneração acionista competitiva, apoiada numa rigorosa disciplina financeira.

Temos 4 pilares no nosso negócio, construídos sobre bases sólidas, para nos ajudar a prosperar durante a transição energética. O crescimento do segmento de Upstream continuará a ser a base do nosso negócio, com um portfólio de projetos de alta qualidade e geradores de caixa. Simultaneamente, pretendemos transformar o nosso segmento de Downstream, adaptando-o à transição energética e às novas tendências de consumo, e tirando partido da nossa forte base de ativos. Em terceiro lugar, vamos continuar a investir no nosso negócio de energias renováveis, expandindo o nosso portfólio para entregar crescimento e valor de forma contínua. Por fim, continuaremos a apostar no desenvolvimento de novos negócios de energia com grande potencial de valor, tirando partido do nosso portfólio e das capacidades que desenvolvemos internamente. 

Por fim, queremos continuar a estar entre os melhores em métricas ESG. Já estamos a dar passos importantes na nossa jornada da descarbonização, tenho definido metas de redução de carbono mais ambiciosas para 2030. Além disso, e pela primeira vez, comprometemo-nos a ser uma empresa com zero emissões líquidas de CO2 até 2050, o que reflete o nosso compromisso de regenerar o futuro.

Upstream

Com a transição da empresa para energias e soluções de baixo carbono, o segmento de Upstream será o principal gerador de cash flow para apoiar esses investimentos, sustentado por um portfólio de classe mundial e uma equipa altamente competente.

Olhando para o futuro, a nossa divisão de Upstream continuará suportada em projetos de elevada qualidade, altamente eficientes do ponto de vista económico e ambiental, permitindo à Galp manter um perfil de crescimento diferenciado de cerca de 25% até 2025. A nossa estratégia está focada na maximização de free cash flow, com um plano de investimentos focado no desenvolvimento de projetos que se esperam com retornos elevados, suportado por potenciais iniciativas de gestão de portfólio.

Industrial & Energy Management

Durante a próxima década, estaremos focados em transformar a nossa atual refinaria de Sines num Centro de Energia Verde. Através de investimentos seletivos, a Galp está a avaliar a implementação de iniciativas de eficiência energética e projetos de dessulfurização, bem como a incorporação de uma unidade de biocombustíveis.

A transformação gradual da unidade industrial de Sines num centro de energia verde também será alavancada no acesso ao hidrogénio verde, o que permitirá outras aplicações industriais, tais como a produção de combustíveis sintéticos, e ajudará a suportar uma redução da pegada de carbono operacional de c.50% até 2030.

Adicionalmente, iremos elevar o papel da Gestão de Energia dentro da organização, de modo a obter valor adicional pela integração em toda a cadeia de valor enquanto gerimos um portfólio altamente complexo e diversificado.

Comercial

A Galp tem no setor Comercial um forte negócio, diversificado em termos de produtos e de geografia. Este abrange a comercialização de derivados de petróleo, gás, GPL, energia elétrica renovável, com oferta nos segmentos B2C e B2B.

Queremos deixar de estar centrados no produto para passar a estar centrados no cliente. No futuro, continuaremos a expandir a experiência do cliente, alavancando a nossa marca e ferramentas de digitalização para capturar valor adicional. Queremos transformar as nossas soluções non-fuel em conceitos inovadores, multi-energéticos e de conveniência, modernizando e expandindo a nossa oferta de produtos e serviços com um novo conceito de hub.

Além da expansão nas estações de serviço, queremos também estar cada vez mais presentes nas casas dos nossos clientes. Queremos expandir o nosso negócio de retalho de energia, especialmente de eletricidade renovável, não apenas através da rede mas também de geração descentralizada.

Renováveis & Novas Energias

A Galp é já um dos principais players no negócio solar fotovoltaico na Península Ibérica, tendo c. 1 GW em operação e 2,8 GW de projetos em desenvolvimento. Enquanto nos focamos no desenvolvimento e maximização dos retornos do portfólio de energia solar fotovoltaica existente, pretendemos também continuar a expandir o nosso portfólio e a diversificar a nossa presença geográfica e tecnológica, através de um modelo de negócio dinâmico e flexível que equilibra risco e retorno.

A nossa meta é obter uma capacidade operacional renovável bruta de >4 GW até 2025 e c.12 GW até 2030, dos quais esperamos manter uma participação de 50%. Para promover este crescimento e apoiar a criação de valor, continuaremos a utilizar uma estrutura de capital alavancada, bem como um modelo de parceria e rotação de ativos. Também estamos a desenvolver novas capacidades distintiva, como opções de armazenamento em torno da hibridização entre solar e eólico, particularmente em Espanha, e estamos a adotar uma abordagem variada na gestão de risco na Península Ibérica, através de uma combinação de PPAs de longo/curto prazo e risco merchant.

Relativamente a Novas Energias, estamos a avaliar o desenvolvimento de soluções de hidrogénio verde, aproveitando a nossa posição privilegiada e capacidades industriais. Adicionalmente, encontramo-nos também a avaliar oportunidades de entrada na cadeia de valor das baterias, nomeadamente através do processamento químico de lítio, pretendendo antecipar as necessidades alinhadas com a estratégia europeia.