Upstream em São Tomé e Príncipe

O portefólio upstream da Galp em São Tomé e Príncipe inclui três blocos offshore. Nos blocos 6 e 12, a Galp opera com participações de 45% e 41%, respetivamente. No bloco 11, a Galp detém uma participação não operacional de 20%.

Portefólio de projetos upstream em São Tomé e Príncipe

         
Bloco Bacia Tipo Fase Parceiros
Bloco 6 Rio Muni Águas ultraprofundas Exploração Galp 45% (op.) | KE 25% | Shell 20% | ANP 10%
Bloco 11 Rio Muni Águas ultraprofundas Exploração Galp 20% | KE 35% (op.) | Shell 30% | ANP 15%
Bloco 12 Rio Muni Águas ultraprofundas Exploração Galp 41,2% (op.) | Equator 46,3% | ANP 12,5%

Cronologia

2022
2020
2019
2018
2017
2016
2015

Galp perfura no bloco 6 o primeiro poço exploratório no país. Apesar deste prospeto em concreto não demonstrar potencial para futura avaliação, a perfuração comprovou a existência de um sistema petrolífero ativo e permitiu recolher um significativo conjunto de dados que vão orientar a definição dos próximos passos exploratórios na região.

Galp assume o papel de operadora no bloco 12, em substituição da anterior operadora Kosmos Energy.

No bloco 6, ultimam-se os trabalhos preparatórios para a perfuração do poço exploratório denominado Jaca.

Galp toma a decisão de abandonar o bloco 5, onde estava presente desde 2016.

Estudos geológicos e geofísicos continuam a avançar, nomeadamente no bloco 6, onde foi identificado um prospeto para a perfuração de um poço de exploração.

Processamento e interpretação dos dados sísmicos 3D recolhidos em 2017. Estudos geológicos e geofísicos para avaliar a prospetividade inicial dos blocos.

Campanha de aquisição sísmica 3D de 16 mil km2, ao longo dos blocos 5, 6, 11 e 12.

Galp reforça a sua presença em São Tomé e Príncipe com a aquisição de uma participação de 20% nos blocos 5, 11 e 12, adjacentes ao bloco 6 já operado pela empresa.

Galp está presente em São Tomé e Príncipe desde 2015, ano em que adquiriu uma participação de 45% e a operação no bloco 6.

O bloco 6 encontra-se na Zona Económica Exclusiva de São Tomé e Príncipe, numa bacia pouco explorada, mas de elevado potencial dada a sua proximidade a zonas com um sistema petrolífero comprovado.

Imprimir

Partilhar: