Integrar a sustentabilidade na nossa cultura

Enquanto prosperamos na transição energética, precisamos de trazer a lente da sustentabilidade para a nossa análise de investimento e processo de tomada de decisão e incorporá-la na nossa cultura. Durante os últimos anos, a nossa jornada de sustentabilidade e práticas de classe mundial tiveram o devido reconhecimento, uma vez que temos sido constantemente classificados como uma das empresas mais sustentáveis na última década por algumas das entidades mais reputadas neste campo.

Responsabilidade partilhada para o sucesso

Compromisso de gestão

Uma gestão eficaz e uma abordagem integrada à criação de valor sustentável exigem uma liderança empenhada, uma estratégia bem definida e um governance forte e robusto.

A Galp considera estes fatores fundamentais para ser uma empresa mais resiliente e preparada para responder aos desafios atuais e futuros. O modelo de governo da Galp baseia-se numa cultura de tomada de decisões que inclui a avaliação dos riscos e oportunidades, e que abrange todo o ciclo de vida das suas operações – desde a identificação da oportunidade de negócio até ao descomissionamento.

A Comissão de Sustentabilidade foi criada pelo Conselho de Administração em reunião de 12 de abril de 2019.

A Comissão de Sustentabilidade tem por missão coadjuvar o Conselho de Administração na integração dos princípios de sustentabilidade no processo de gestão do Grupo Galp, promovendo as boas práticas do setor em todas as suas atividades, com vista à criação de valor de longo prazo.

A Comissão reúne no mínimo quatro vezes por ano, em datas a definir no início de cada ano, ou, extraordinariamente, por solicitação do Presidente ou de pelo menos dois dos seus membros.

Em 2022, a Comissão de Sustentabilidade reuniu 4 vezes mais 2 reuniões informais que ocorreram durante junho e julho.

Saiba mais sobre o Regulamento da Comissão de Sustentabilidade.

 

Incentivos à sustentabilidade

O compromisso da empresa com a descarbonização e com a promoção da transição energética é refletido pelos seus indicadores de avaliação do desempenho ESG, ligados à remuneração variável e aplicáveis a todos os colaboradores em qualquer área geográfica.

Todos os colaboradores

A partir de 2022, as métricas relacionadas com a produção de hidrocarbonetos já não são apresentadas como fatores de ponderação nos incentivos dos colaboradores. O scorecard de desempenho foi revisto em 2022 para dar mais relevância às métricas relacionadas com o ESG, que agora representam 25% de todos os indicadores de desempenho anuais, cobrindo os KPI de segurança e descarbonização. Além disso, 20% do scorecard dos colaboradores é atribuído à obtenção de marcos estratégicos que incluem, entre outros, temas relacionados com a cibersegurança e projetos de baixo carbono como a eletrificação e o H2.

Comissão Executiva

Para a Comissão Executiva, os KPI de segurança e descarbonização estão também incluídos no scorecard de incentivos a curto prazo, com um peso combinado de 15%. A política de remuneração dos membros dos órgãos sociais da Galp é revista anualmente e disponibilizada ao público na secção de documentação societária (link aqui).

Objective Key Results (OKR)

Os OKR foram recentemente implementados em todas as unidades de negócio com o objetivo de envolver a organização mais ampla na concretização dos marcos estratégicos da Galp. Ao alavancar a visibilidade sobre o que é importante, as equipas trabalharam com grande enfoque e reconheceram os seus esforços nos resultados da Galp. Alguns dos OKR relacionados com a sustentabilidade presentes nos scorecards das unidades de negócio estão relacionados com segurança, projetos de descarbonização e estratégia de compensação de carbono, aumento da capacidade e produção de energias renováveis, entre outros.

Auditorias e conformidade

Na Galp, as auditorias de ambiente, de qualidade e de energia continuam a ser um instrumento de gestão de extrema relevância ao nível do controlo do risco e dos impactes da nossa atividade. Dispomos de uma equipa interna e externa de auditores qualificados, de acordo com critérios rigorosos, para os referenciais ISO 14001, ISO 9001, ISO 50001 e ISO/IEC 17025. Para a realização de auditorias externas recorremos a entidades independentes e qualificadas.

 

 

Para assegurar os benefícios resultantes da auditoria, considera-se que as auditorias internas devem incidir nas seguintes vertentes:
Avaliação do grau de cumprimento dos requisitos aplicáveis Eficácia dos sistemas implementados Eficiência dos processos

 

 

O sucesso das auditorias é garantido através dos seguintes fatores:
Seleção de uma Equipa Auditora tecnicamente credível Planeamento e preparação da auditoria Estabelecimento de prioridades no tratamento de ações corretivas

 

Certificações e acreditações
Qualidade dos produtos

A garantia da qualidade dos produtos é fundamental nas empresas petrolíferas para cumprir as expectativas e requisitos dos seus clientes.

A existência de especificações internas rigorosas submetidas a um processo de controlo criterioso assegura que, ao longo da cadeia logística, as características dos produtos são mantidas dentro dos limites aplicáveis em cada área geográfica.

O compromisso assumido por nós no sentido de introduzir no mercado produtos que satisfaçam ou excedam os requisitos legais ou contratuais aplicáveis, e de assegurar a utilização eficiente dos recursos, investindo em tecnologias inovadoras e nas melhores técnicas operacionais disponíveis, coloca desafios de eficiência e eficácia.

Estes desafios só são alcançáveis através da partilha de conhecimento nas vertentes científica, técnica, económica e legislativa, com impacto na qualidade dos produtos.

Asseguramos, assim, um conjunto de ligações relevantes com diversos organismos que lideram a evolução da qualidade dos produtos e posicionamo-nos como uma empresa de excelência nos mercados onde operamos. Desta forma é possível antecipar riscos decorrentes da alteração de especificações e assegurar a eficácia do nosso processo na garantia da qualidade dos produtos.

Acompanhamos também o processo de revisão normativa relativa à qualidade dos produtos e os numerosos estudos que decorrem atualmente sobre esta matéria resultantes de questões técnicas e económicas.

Participação técnica
  • CONCAWE – Fuel Quality and Emissions Management Group

No âmbito da participação no CONCAWE – Fuel Quality and Emissions Management Group e nos respetivos grupos de trabalho, asseguramos um conjunto de ligações relevantes com diversos organismos que lideram a evolução da qualidade dos combustíveis. Na Galp, temos vindo a acompanhar o trabalho desenvolvido, quer através da sua participação no CONCAWE, quer através da participação na Comissão Técnica - CT38, no âmbito do Sistema Português da Qualidade, no sentido de atempadamente se preparar para dispor dos combustíveis mais evoluídos.

  • ADH - Marine Fuels e ADH - Aviation Fuels

No domínio dos combustíveis de marinha referimos a participação nos grupos ADH - Marine Fuels e no caso dos combustíveis de aviação a participação no grupo ADH - Aviation Fuels, nos quais a Galp Energia participa. Com a criação destes grupos, estabelecem-se e consolidam-se ligações com organismos como a IPIECA (International Petroleum Industry Environmental Conservation Association), ISO (International Standards Organisation)-ISO/TC28/SC4/WG6 e IMO (International Maritime Organisation) no caso dos combustíveis de marinha e com o JIG (Joint Inspection Group) e o AFC (Aviation Fuel Committee do Energy Institute), para o caso dos combustíveis de aviação.

Os grupos de trabalho abrangem várias áreas de relevo para a qualidade dos combustíveis e proporcionam a interação com outras empresas que atuam no mercado. Na Galp temos vindo, assim, a colocarmo-nos numa posição vantajosa que lhe permite antecipar riscos e consolidar cenários estratégicos.

  • CT153

No capítulo dos betumes temos vindo a acompanhar os desenvolvimentos normativos através da nossa participação em Portugal na Comissão Técnica CT153. Salientamos o trabalho desenvolvido por esta comissão com vista à publicação dos anexos nacional às normas de especificação Europeias de Produtos Betuminosos e guias que estabelecem os requisitos nacionais para os ligantes betuminosos.

Sistema Integrado de Gestão

Em 2022, a Galp aprovou o SIG 2.0, um Sistema de Integrado de Gestão renovado que visa ser mais simples, mais focado, ágil e com valor acrescentado para a organização. No SIG 2.0, mantivemos as certificações ISO 9001 e ISO 14001 na maioria dos nossos ativos (de acordo com o âmbito definido nos certificados 1993/CEP.096 e 2018/AMB.0896, respetivamente), a ISO 50001 na Refinaria de Sines, bem como as certificações SEVESO e EN 12591:2009 (marcação CE) nas instalações aplicáveis.

100% das nossas operações estão cobertas pelo sistema de gestão operacional de SSA.

A integração dos anteriores sistemas de gestão originou uma simplificação da gestão de sistemas, apesar do alargamento do número de instalações e atividades abrangidas.

Para mais informações faça download da lista detalhada de certificações da Galp.

Consulte também a nossa performance