Métricas de carbono

Contribuímos de forma construtiva para o desenvolvimento de medidas apropriadas para superar os desafios da energia e clima.

Anualmente, a Galp monitoriza a pegada de carbono decorrente da sua atividade e cadeia de valor, englobando os âmbitos 1, 2 e 3 da sua atividade e cadeia de valor.

Estamos comprometidos com a integralidade da análise das emissões decorrentes da nossa atividade e cadeia de valor, englobando não apenas as emissões diretas das nossas operações (âmbito 1), mas também as emissões indiretas decorrentes da eletricidade que adquirimos (âmbito 2) e das atividade na nossa cadeia de valor (âmbito 3).

Monitorizamos a pegada de carbono de forma regular e sistemática, considerando a sua evolução aquando da definição da estratégia, dos objetivos e metas.

Em 2018, realizámos uma revisão da metodologia de cálculo da pegada de carbono, promovendo o alargamento do mapeamento e reporte mais transparente das emissões indiretas, incluindo mais emissões de âmbito 3 como: bens e serviços adquiridos, atividades logísticas, viagens de negócios, processamento de produtos vendidos, uso de produtos e investimentos. Esta atualização está alinhada com as melhores práticas aplicáveis ao sector Oil & Gas e com a análise de materialidade das fontes de emissão.

Pegada de Carbono

As emissões decorrentes da nossa atividade e cadeia de valor em 2018

Notas metodológicas:

t CO₂e - toneladas de dióxido de carbono equivalente

A pegada de carbono da Galp é anualmente elaborada segundo o quadro metodológico estabelecido pelo The GreenhouseGas Protocol – Corporate Accounting and Reporting Standard, complementado pela respetiva adaptação sectorial promovida pela International Petroleum Industry Environmental Conservation Association (IPIECA) – Compendium of Greenhouse Gas Emissions Methodologies for the Oil and Gas Industries.

Devem ser tidos em conta os seguintes pressupostos:

1) Foram considerados os Global Warming Potential (GWP) for 100-year time horizon. Fonte: IPCC Fourth Assessment Report (AR4)

2) Inclui as emissões totais de Gás Flaring (Routine e Non-Routine).

Consulte a nossa pegada de carbono em maior detalhe nos indicadores de desempenho ambiental da Galp.

 

Intensidade Carbónica

Alinhada com as melhores práticas da indústria, a Galp apresentou pela primeira vez uma métrica de intensidade carbónica adaptada à sua cadeia de valor e aplicável a todos os segmentos de negócio.

A intensidade carbónica foi calculada considerando as emissões decorrentes da globalidade das suas atividades, de âmbito 1, 2 e 3 acima referidas, e a energia comercializada pelos vários segmentos de negócio, nomeadamente crude, gás natural, combustíveis líquidos, biocombustíveis e eletricidade.

Esta métrica permite-nos responder ao desafio de diminuir as emissões de carbono da atividade da Galp num contexto de expansão das suas atividades, mas também ao desafio da sociedade, que no futuro consumirá mais energia com menos carbono.

                                                                                                                                                                                                                             

Procuramos reduzir a nossa pegada de carbono e intensidade carbónica nos seus vários âmbitos. Nas nossas emissões diretas, promovendo a eficiência energética nas nossas operações e integrando novos processos melhores tecnologias que minimizem as emissões atmosféricas. Nas nossas emissões indiretas, comprometendo-nos a adquirir apenas eletricidade de fontes renováveis, em 2021, para utilização nas nossas operações em Portugal.

Imprimir

Partilhar: