Excelência operacional e transição para a circularidade

A Galp está focada na melhoria do desempenho da ecoeficiência, através da otimização de recursos, efluentes, emissões e resíduos, mediante a melhoria contínua do seu desempenho. Para tal, procura adotar as melhores tecnologias disponíveis, estabelecendo objetivos e metas, e monitorizando periodicamente o desempenho em todas as geografias, sujeito a avaliações de terceiros. A gestão das questões ambientais decorrentes das atividades da Galp é feita através do seu sistema integrado de gestão certificado pela norma ISO 14001.

O objetivo da Galp passa também por expandir e aumentar a circularidade na sua cadeia de valor, desde a construção, até ao funcionamento e desmantelamento. A Galp vai concentrar-se na utilização eficiente dos seus recursos e materiais, aumentando a reutilização e reciclagem e identificando novas oportunidades em novos projetos.

Otimizar recursos, efluentes, emissões e resíduos

A Galp implementa medidas de eficiência para a utilização e gestão de recursos em todas as fases do ciclo de vida das instalações, assim como dos produtos e serviços, desde a conceção e projeto, exploração e vida útil até ao fim de vida e desativação. 

Em todas as operações atuamos segundo os seguintes quatro eixos chave:

  • Preservação do capital natural: reconhecemos o capital natural como elemento gerador de valor, logo, a destruição de ecossistemas tem um impacto económico negativo. Devemos incentivar a sua preservação através do controlo do stock finito de recursos (criando condições de regeneração para os recursos) e do balanço dos fluxos renováveis associados.
  • Otimização do rendimento de recursos: procuramos a minimização do consumo e a maximização da utilidade, através da reutilização, nomeadamente dos materiais e energia, promovendo um aumento da eficiência na utilização de recursos.
  • Redesenho de processos e modelos: promovemos o repensar de processos e modelos de negócios, atendendo a questões técnicas e económicas, sociais e institucionais, e, em última instância, redesenhando os mesmos.
  • Inovação e novas tecnologias: assumimos o desenvolvimento de novas estratégias assentes na inovação e tecnologia, como base que permite efetivar e alavancar as mudanças à atual dinâmica das sociedades, possibilitando as alterações nos sistemas produtivos, mas também, nos hábitos e cultura da sociedade.

Adicionalmente, assumimos a nossa responsabilidade perante as gerações futuras, promovendo a educação sobre a energia e a eficiência energética e desenvolvemos projetos que promovem o consumo energético responsável junto dos nossos clientes, dos nossos parceiros e dos consumidores do futuro.

Como gerimos a ecoeficiência e destaques de desempenho

Em 2023, diminuímos o consumo de energia em 17% em comparação com 2022, relacionado com a redução de 10% de carga processada, influenciada pela paragem realizada este ano na refinaria de Sines.

A captação de água doce diminuiu cerca de 14% em comparação com 2017, mostrando uma redução consistente. Esta tendência não está apenas relacionada à paragem, mas também reflete a nossa dedicação em implementar medidas para melhorar a ecoeficiência nas operações. Observou-se uma ligeira diminuição da taxa de reciclagem de água em 2 p.p. em comparação com 2022, também em consequência da paragem. A captação de água doce aumentou nas zonas sujeitas a stress hídrico. Esta situação deve-se à expansão das regiões que sofrem de stress hídrico, afetando assim um maior número de locais.

O desempenho da Galp noutros indicadores ambientais chave, nomeadamente no que respeita a resíduos produzidos, foi fortemente influenciado pelas duas paragens na refinaria de Sines e pelos trabalhos de desmantelamento do complexo industrial de Matosinhos. Estes dois eventos contribuíram para aumentar a produção total de resíduos (+32% em relação a 2022), em especial os resíduos perigosos (+40% em relação a 2022) devido às intervenções associadas. É importante salientar que 53% do total de resíduos produzidos foram valorizados.

 

  2020 2021 2022 2023
Captação total de água (10m3) 9.881 9.435 9.343 9.125
Captação total de água doce (10m3) 9.743 9.321 9.219 9.032
Total de água reciclada (%) 15 14 14 12
Águas residuais (10m3) 5.913 5.822 6.125 6.109

Conscientes da importância da qualidade do ar para a saúde pública e para o ambiente, gerimos as nossas operações salvaguardando a sua proteção. Monitorizamos as nossas emissões atmosféricas, provenientes de fontes fixas e móveis, e asseguramos a verificação do nosso desempenho por terceira parte independente.

Com vista a tornar a nossa atividade e os nossos produtos mais sustentáveis, implementamos as melhores tecnologias disponíveis (MTD) para a redução das emissões atmosféricas, nomeadamente:

  • Otimização dos sistemas de combustão
  • Ajustamento do portefólio de combustíveis
  • Integração de aditivos redutores de óxidos de azoto na unidade Fluid Catalytic Cracking (FCC)
  • Integração das novas especificações de combustíveis, minimizando impactes ambientais na utilização dos produtos comercializados
  • Estabelecimento de objetivos e metas com base nos KPI de desempenho
  2020 2021 2022 2023
NOx (ton) 1.384 1.349 1.539 918
SO(ton) 1.113 922 1.454 1.394
partículas (ton) 182 183 70 13

Atuamos em diversas vertentes para minimizar os casos de perdas de contenção, promovendo a monitorização, de todas as perdas de contenção primária, independentemente do volume libertado ou do meio afetado, e promovendo a disseminação das lições aprendidas com a investigação de cada evento, das suas causas e efeitos. Além da sua monitorização, esta informação é reportada nos scorecards das unidades de negócio, sendo alvo de acompanhamento regular pela gestão de topo.

  2020 2021 2022 2023
perdas de contenção primária que atingiu o ambiente (>150 l) (no.) 7 11 7 5
volume total que atingiu o ambiente (>150 l) (m3) 302 44 64 4,8

Implementamos medidas de prevenção e mitigação de derrames, promovendo a qualidade do meio e das espécies e habitats que dele dependem, e envidamos esforços para melhorar a compreensão do meio em que se desenvolvem as nossas atividades, ao nível de:

  • Hidrogeologia local;
  • Qualidade e características dos recursos hídricos subterrâneos e superficiais;
  • Tipo e características dos solos;
  • Condições bioclimáticas;
  • Vulnerabilidade ecológica.

 

Reconhecendo a importância que a nossa intervenção tem na preservação dos solos nos locais onde operamos, desenvolvemos planos de ação e atuamos proativamente.

Dispomos de standards e procedimentos internos que visam a gestão sustentável dos solos e recursos hídricos. Estabelecemos metodologias, alinhando a atuação com as boas práticas reconhecidas internacionalmente e com as expectativas das autoridades competentes e restantes stakeholders. Na ótica integrada do ciclo de vida das nossas instalações, a proteção de solos e recursos hídricos é assegurada através da:

  • Correta gestão de produtos contaminantes, resíduos e efluentes;
  • Prevenção de incidentes;
  • Preparação da resposta a situações de emergência e de crise.

Temos sempre, por princípio, uma atuação responsável em caso de eventual ameaça de dano ambiental.

Em caso de suspeita de ocorrência de perda de integridade mecânica e consequente perda de contenção, aplicamos procedimentos de investigação e avaliação da contaminação.

Acreditamos numa prevenção sustentada na avaliação dos riscos e impactes ao longo do ciclo de vida dos projetos. Envidamos esforços para melhorar a compreensão do meio em que se desenvolvem as nossas atividades, a diferentes níveis:

  • Vulnerabilidade ecológica;
  • Hidrogeologia local;
  • Qualidade e características dos recursos hídricos;
  • Tipo e características dos solos e condições bioclimáticas.

Este conhecimento é informação relevante para a prevenção e minimização dos impactos das nossas atividades, nomeadamente ao nível do planeamento e resposta à emergência.

Desenvolvemos planos de resposta à emergência específicos para as nossas operações, sendo que estes são periodicamente revistos e testados.

Os planos de emergência cobrem todas as fases da resposta à emergência, da identificação da emergência ao seu fecho. Incluem todos os cenários que poderão levar a um evento grave, definindo os recursos, funções, responsabilidades, as competências e experiências requeridas para cada situação.

Também estão identificados os canais de comunicação com stakeholders internos e externos, visando a minimização dos efeitos adversos sobre a vida humana, ambiente e ativos.

Constituímos anualmente provisões para passivos ambientais. Estas são estabelecidas, regra geral, de modo a prover recursos para processos de descontaminação de solos e águas subterrâneas, bem como para projetos de abandono de blocos decorrentes da atividade do Upstream.

Provisões (€k) 2020 2021 2022 2023
Ambiente 145 216 314 380
Abandono de blocos Upstream 368 429 401 389

Saiba mais sobre o nosso desempenho ambiental

Economia circular

A Galp está focada em fazer com que os materiais durem mais tempo, utilizando os recursos de forma responsável e incorporando princípios circulares desde a conceção até ao encaminhamento para destino final. Procuramos colaborar com os nossos parceiros na partilha de experiências e melhores práticas e na criação de oportunidades que permitam alcançar este objetivo. Aplicamos um prisma circular na nossa reavaliação estratégica do modelo de negócio tradicional, explorando soluções através de iniciativas de Inovação.

  • Biocombustíveis avançados

A transformação industrial em curso em Sines permitirá à Galp desenvolver projetos de eficiência que utilizem materiais reutilizáveis para criar produtos com baixo teor de carbono.

Em 2023, a Galp e a Mitsui juntaram-se para criar uma joint venture 75/25 que está a investir numa unidade de grande escala com 270 ktpa de capacidade, adjacente à refinaria de Sines, para a produção e comercialização de biocombustíveis avançados. Esta unidade utilizará resíduos para produzir óleo vegetal tratado com hidrogénio (HVO) e combustível de aviação sustentável (SAF), reduzindo assim a pegada ambiental em comparação com as suas alternativas de combustíveis fósseis.

Mantemos em funcionamento a Enerfuel, uma unidade industrial em Sines, que produz biodiesel FAME (Fatty Acid Methyl Ester), exclusivamente a partir de gorduras animais e óleos alimentares usados. Na refinaria de Sines, fornecemos Craqueamento Catalítico Fluidizado (FCC) à St. Gobain para a produção de betume. De modo a melhorar o nosso contributo para a circularidade, estamos também a avaliar a classificação de alguns dos nossos resíduos como matérias-primas para outras indústrias.

  • Novos Negócios - Cadeia de valor do lítio

A Galp está a co-desenvolver uma unidade de processamento de lítio em Setúbal (Aurora). Para este projeto, está a ser planeada a criação de uma rede de fornecedores para os subprodutos da conversão do lítio. Desta forma, promover-se-á uma economia circular e garantir-se-á a atenuação do impacto desta atividade.

  • Renováveis - Centrais solares fotovoltaicas

A equipa de inovação da Galp avaliou o CERFO (Centro Europeu de Reciclagem Fotovoltaica), uma start-up de Aragão que está a construir uma unidade de reciclagem de módulos fotovoltaicos em Espanha. Para o efeito, foi analisado o mercado de reciclagem fotovoltaica, a regulamentação pertinente, bem como a atividade e a tecnologia do CERFO. Com o apoio de uma empresa de consultoria especializada, explorámos os percursos de fim de vida dos módulos fotovoltaicos na Europa e comparámo-los com os padrões do setor.

  • Comercial - Conveniência

Juntamente com os seus fornecedores, a rede de lojas da conveniência está a implementar práticas para melhorar a circularidade. Isto inclui a redução de embalagens de plástico e a substituição de embalagens descartáveis por embalagens reutilizáveis para o transporte de garrafas, que podem posteriormente ser devolvidas para reutilização. A Galp também converteu os resíduos biológicos do café num subproduto, dando aos seus clientes a oportunidade de levar as borras de café e utilizá-las como biofertilizante.