A nossa abordagem

“Incorporamos os princípios de sustentabilidade e de boas práticas de governo na nossa estratégia, cultura e valores, garantindo a segurança e proteção das pessoas, do ambiente e dos ativos, fomentando, ao mesmo tempo, a inovação e o desenvolvimento das nossas pessoas. Como parte deste caminho de crescimento, a Galp contínua empenhada em cumprir as expectativas de todos os nossos stakeholders.”

Carlos Gomes da Silva, CEO da Galp

 A nossa estratégia

Ambicionamos tornar-nos um operador integrado de energia eficiente e competitivo, extraindo o máximo valor dos projetos onde estamos presentes, explorando novas oportunidades que possam trazer fontes de geração crescente e diversificada ao nosso portefte e, e criando valor sustentável para os nossos stakeholders.

Saiba mais sobre a nossa estratégia.

Abordagem integrada para a criação de valor sustentável

A Galp acredita numa abordagem integrada de criação de valor sustentável, através da antecipação de riscos, maximização de oportunidades e criação de relações sólidas com os stakeholders, garantindo assim a licença para operar.

Integramos os princípios fundamentais da sustentabilidade na nossa cultura, estratégia, atividades e atos de gestão.Estão também presentes na relação com os nossos colaboradores, fornecedores, clientes, acionistas e com todos aqueles que, direta ou indiretamente, são afetados pelas atividades da nossa organização.

O trabalho conjunto com todos os nossos grupos de stakeholders apoia-nos na identificação de aspetos-chave de sustentabilidade relevantes, refletidos na nossa matriz de materialidade.

A nossa abordagem à materialidade

Os temas materiais são aqueles que podem ser considerados relevantes por refletirem os impactos económicos, ambientais e sociais significativos da organização ou influenciarem, substancialmente, as avaliações e decisões dos stakeholders.

Na Galp temos implementado um conjunto de processos que asseguram a identificação e a priorização dos temas materiais de sustentabilidade. Estes processos permitem-nos fazer uma revisão contínua dos temas materiais na capacidade de gerar valor para a Organização e para os stakeholders.

Este processo de análise de materialidade inclui a realização de quatro grandes etapas:

A identificação dos temas materiais é realizada através de um processo abrangente de análise de materialidade, revisto de forma sistemática, usando como referência:

  • A Global Reporting Initiative;
  • O 5-Part Materiality Test, proposto pela AccountAbility, pelo United Nations Environment Programme e pela Stakeholder Research Associates; e
  • Os princípios de inclusão, relevância e responsabilidade de stakeholders, constantes da norma da AccountAbility, AA1000 AccountAbility Principles Standard (AA1000APS 2008).

A utilização desta abordagem orienta-nos na compreensão dos principais desafios que enfrentamos e que afetam a capacidade da nossa Organização na criação de valor a longo prazo.

A nossa matriz de materialidade

Os nossos compromissos

Acreditamos estar bem posicionados para o futuro, guiados pelos nossos compromissos de sustentabilidade.

Com vista a orientar a nossa atuação sobre os temas materiais, temos definidos um conjunto de compromissos de sustentabilidade, aprovados pela gestão de topo e compreendidos em toda a Organização.

 

Com estes compromissos pretendemos dar resposta aos temas materiais e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), de forma interna na Organização, e de forma externa, valorizando e tendo em consideração as expetativas e preocupações dos nossos stakeholders.

Como forma de enfrentar estes desafios, tomamos as seguintes medidas:

  • Estabelecemos desafios internos;
  • Subscrevemos compromissos externos;
  • Mantemos ativa uma rede de conhecimento;
  • Monitorizamos continuamente o desempenho;
  • Comprometemos a gestão e os colaboradores;
  • Promovemos a cultura de sustentabilidade;
  • Asseguramos a capacitação dos colaboradores e da gestão.

 O nosso compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

17 Pilares para um futuro sustentável
A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas integra os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aprovados pelos líderes mundiais na assembleia geral das Nações Unidas realizada a 25 de setembro de 2015.
Os ODS constituem um novo modelo global para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar de todos, proteger o ambiente e combater as alterações climáticas e marcam o roteiro a seguir nas prioridades de gestão de sustentabilidade para os próximos anos.
Para serem concretizados, estes objetivos exigem o compromisso e o empenho de todos e de cada um de nós: cidadãos, sociedade civil, empresas e governos.

Estamos empenhados no futuro e, para a Galp, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são mais do que compromissos. Estes objetivos moldam o nosso modelo de negócio e a nossa atuação pois são objetivos que partilhamos e integramos na nossa atividade, todos os dias: foco nas pessoas, respeito pelos direitos humanos, segurança, diminuição das desigualdades, acesso à energia, produção e consumo responsável e sustentável, proteção do ambiente e luta contra as alterações climáticas.

Olhamos para os 17 ODS como um conjunto integrado de objetivos de importância fundamental para um futuro sustentável. Porém, quando enquadrados no sector onde atuamos e face à atividade concreta que desenvolvemos, estes assumem preponderâncias distintas. Por isso mesmo agrupámo-los em três grandes blocos que refletem o seu posicionamento na nossa atividade: ODS materiais, ODS diretos e ODS indiretos.

Imprimir

Partilhar: