Renováveis

Como parte da sua estratégia de baixo carbono, a Galp pretende desenvolver a sua atividade de geração de energia a partir de fontes renováveis diferenciadas que sejam competitivas.

 

0 portefólio atual de projetos de geração de energia renovável da Galp é de c.4,7 GW em Portugal, Espanha e, recentemente Brasil, predominantemente solar, dos quais 927 MW já se encontram em produção.

Em 2020, a Galp entrou no mercado solar em Espanha, tendo chegado a acordo com o Grupo ACS para a constituição de uma JV com vista ao desenvolvimento de uma carteira de projetos com uma capacidade de geração de energia total de c.2,9 GW.  Este portefólio inclui 914 MW de capacidade de geração já em operação e um conjunto de projetos em diferentes estágios de desenvolvimento com instalação prevista até 2024. A Galp detém 75,01% da JV que segue um modelo de controlo partilhado.

Durante o ano de 2021, a Empresa expandiu ainda mais a sua posição solar em Espanha, acrescentando três projetos em diferentes estágios de desenvolvimento, com uma capacidade instalada bruta total de c.400 MW.

Adicionalmente, a Galp detém um portefólio de c.495 MW de projetos de solar FV em Portugal (144 MW em Alcoutim, 343 MW em Ourique e 8 MW em Odemira).

O portefólio atual inclui ainda um projeto com 12 MW de capacidade instalada numa central de produção de energia eólica em Portugal, no qual a Galp detém uma participação de 50,5%.

Em 2021, a Galp entrou no mercado Solar no Brasil, tendo adquirido dois projetos solares em desenvolvimento estados da Bahia e do Rio Grande do Norte, com capacidades de 282 MWp e 312MWp, respetivamente. Prevemos que os projetos atinjam a Data de Operação Comercial antes de 2025.

A estratégia da Galp passa pelo crescimento gradual do seu portefólio, alavancando a sua forte presença na Península ibérica, e procurando a diversificação do portefólio e a criação de valor adicional.

A ambição da Galp é desenvolver o seu negócio de energia renovável que lhe permitirá atingir mais de 4 GW de capacidade operacional bruta até 2025 e expandir e diversificar gradualmente o seu portfólio para c.12 GW até 2030, explorando oportunidades noutras geografias, bem como outras tecnologias e armazenamento opções.

O modelo de negócio dos Renováveis está assente na rotação de ativos, com a Galp a pretender manter uma participação média de c.50% dos projetos após início de operações, bem como numa exposição balanceada ao risco, com a geração de energia renovável a ser suportada predominantemente em PPAs e a estrutura de capital significativamente alavancada (60-70%).

Imprimir

Partilhar: