Nas cogerações

A nossa oferta de produção e comercialização de energia elétrica e térmica potencia uma redução dos custos energéticos.

A aposta no vapor e na água quente oferece aos clientes industriais soluções que permitem uma diminuição dos custos e que libertam capacidade de investimento.

Os ativos detidos neste negócio incluem três centrais de cogeração: Sinecogeração, Portocogeração e Agroger, com uma potência instalada para produção de eletricidade que totaliza 173 MW. Em 2017, as vendas de eletricidade à rede, proveniente das cogerações, foi 1.386 GWh.

As nossas cogerações cumprem com as normas e diretrizes de melhores práticas em termos ambientais, como por exemplo o cumprimento das emissões de CO, NOx e partículas, e gestão de resíduos. Estas medidas de implementação obrigatória são revistas anualmente.

O projeto de instalação de duas novas centrais de cogeração nas refinarias de Sines e Matosinhos teve como objetivo o fornecimento de vapor em alta pressão às refinarias.
As refinarias passaram a beneficiar das vantagens da produção combinada de energia elétrica e térmica através da queima de gás natural em turbinas a gás — tecnologia de grande eficiência energética na produção do vapor nas condições necessárias às refinarias.
O vapor produzido nas novas centrais de cogeração substitui a maior parte do que é produzido nas atuais caldeiras a fuelóleo.

As emissões atmosféricas destas centrais são significativamente reduzidas em elementos como:

  • Óxidos de enxofre (SOx), atendendo a que o combustível da unidade de cogeração será o gás natural;
  • Partículas;
  • Óxidos de azoto (NOx);
  • Dióxido de carbono (CO₂), em particular na componente associada à energia térmica.

O funcionamento destas centrais constitui já uma medida de eficiência energética, uma vez que promove a redução de consumos de energia primária e consequentes emissões de CO₂, contribuindo significativamente para a melhoria do desempenho do aparelho refinador e a nível nacional.

Imprimir

Partilhar: