Alterações climáticas e Transição energética

Alterações climáticas e Transição energética

Mantemos um portefólio de negócios equilibrado e integrado, com foco na incorporação de soluções de baixo carbono.

Respondendo aos desafios climáticos e energéticos

O paradigma da energia no Mundo está a mudar e a Galp ambiciona ter um papel ativo nesta transição, nomeadamente através de:

  • Adaptação do nosso portefólio às necessidades futuras, sempre que possível criando sinergias com as atividades existentes;
  • Diversificação dos nossos ativos, com consequente mitigação de riscos decorrente da redução da sua intensidade carbónica;
  • Desenvolvimento de soluções inovadoras e diferenciadoras que promovam a transição para uma economia de baixo carbono.

Análise de cenários

Num mundo em constante mudança, trabalhamos para garantir a sustentabilidade da Galp, testando a resiliência da nossa estratégia a diversos cenários, do paradigma futuro da energia. Construímos quatro cenários contrastantes, tendo em conta diferentes níveis de disrupção tecnológica e de política regulatória, sendo estas as incertezas que consideramos críticas para o sector energético. Um dos cenários desenvolvidos está alinhado com o Sustainable Development Scenario da International Energy Agency.

                                                                                                                            

 
Mix da procura de energia primária total em 2040 por cenário (bn toe)   
                                                 

Para que a Galp mantenha um desenvolvimento sustentável nos vários cenários projetados, refletimos na nossa estratégia as grandes linhas orientadoras que visam garantir uma organização resiliente e ágil, preparada para um mundo complexo e incerto.

A estratégia da Galp mantém-se focada no desenvolvimento de um portefólio, suportado por soluções inovadoras e diferenciadoras, respondendo aos desafios da transição para uma economia de baixo carbono.

Gerimos o risco como uma oportunidade

Integramos e avaliamos os riscos e oportunidades de transição energética e alterações climáticas através de uma abordagem holística de gestão do risco. Alinhados com o contexto, identificamos riscos e oportunidades financeiros e não financeiros, procuramos metodologias e métricas para os avaliar e integrar no negócio e estratégia, e desenvolvemos iniciativas, planos de ação e metas para mitigar riscos e explorar oportunidades.

Os riscos e oportunidades associadas às alterações climáticas e transição energética integram os processos de definição e execução estratégica da Galp, supervisionados pelo Conselho de Administração (CA) e pela Comissão Executiva (CE), com uma participação ativas dos comités especializados nestes temas, como o Comité de Sustentabilidade, o Comité de Gestão de Risco, entre outros.                 

 

Acompanhamos e analisamos continuamente os principais riscos de transição, nomeadamente os riscos de concorrência, jurídicos e de compliance e mercados, bem como os riscos físicos potencialmente causados por eventos disruptivos resultantes das alterações climáticas.

Cientes dos desafios inerentes a uma transição para uma economia de baixo carbono, assumimos o compromisso estratégico de gradualmente diversificar o portefólio, integrando soluções energéticas que provoquem menos emissões de carbono e para novos modelos de negócio. Enquanto player totalmente integrado de energia, a nossa presença no mercado atual coloca-nos numa posição forte para integrarmos os nossos atuais produtos com novos serviços e modelos de negócio, nomeadamente no processo de descarbonização da economia.

A gestão do carbono ao longo da nossa cadeia de valor

A Galp integra as questões do clima e da sustentabilidade, através de mecanismos e requisitos que são considerados nos processos de tomada de decisão associados às diferentes etapas de desenvolvimento dos projetos, ao longo de todo o ciclo de vida.

Participamos de forma ativa e transparente nas iniciativas globais de resposta às alterações climáticas

Task Force on Climate-related Financial Disclosures (TCFD)

Assumimos a importância de uma liderança responsável que integre os desafios climáticos na sua estratégia. O apoio da Galp às recomendações da Task Force on Climate-related Financial Disclosures reflete o compromisso com a promoção de uma relação equilibrada entre a satisfação das necessidades energéticas e minimização da intensidade carbónica da nossa atividade, bem como com o reporte transparente da informação relacionada com o clima.

Saiba mais sobre esta iniciativa e veja aqui o nosso alinhamento aos requisitos da TCFD.​

CDP – Driving Sustainable Economies

Em 2018, a Galp voltou a ser reconhecida pelo CDP – Driving Sustainable Economies como uma das empresas líderes na estratégia e gestão das alterações climáticas. Fomos a única empresa de Oil & Gas a alcançar, em simultâneo, uma classificação A ou A- nas categorias de segurança hídrica e alterações climáticas.

Saiba mais sobre esta iniciativa.

Zero Routine Flaring by 2030 do World Bank Group

Em 2015 aderimos, como operador de exploração e produção, à iniciativa de Zero Routine Flaring by 2030. Estamos comprometidos com o objetivo de dimensionar os novos projetos de E&P para zero flaring, em condições de operação normal.

Saiba mais sobre esta iniciativa.

We mean business

Aderimos à coligação We Mean Business, integrada na iniciativa da NAZCA Tracking Climate Action da United Nations Framework Convention on Climate Change (UNFCC).

A Galp assumiu o compromisso de take action, especialmente nas questões climáticas. Através do compromisso de utilização de um preço interno de carbono nos processos de tomada de decisão de investimento, do compromisso corporativo assumido na Política de Alterações Climáticas e do compromisso em implementar as recomendações da TCFD.

Esta plataforma, formada por um conjunto de organizações que trabalham com o sector empresarial e investidores à escala mundial, promove a transição para uma economia de baixo carbono. A plataforma impulsiona ainda uma ação climática pró-ativa, incentivando a criação de novos marcos políticos no âmbito das alterações climáticas.

Saiba mais sobre esta iniciativa.

Imprimir

Partilhar: