Exploração & Produção

O nosso portefólio inclui mais de 50 projetos em diferentes fases de exploração, desenvolvimento e produção.

Os projetos em desenvolvimento da Galp incluem duas das maiores descobertas de petróleo e gás natural realizadas nas últimas décadas, localizadas, respetivamente, no pré-sal da bacia de Santos no Brasil, e na bacia do Rovuma, em Moçambique.

A Empresa encontra-se focada na execução dos seus projetos em fase de desenvolvimento em três áreas core:

Portefólio de projetos E&P

Principais indicadores

  • projetos
    50 projetos
  • países
    6 países
  • produção média WI
    107,3 kboepd produção média WI
  • reservas 2P
    755 mmboe reservas 2P
  • recursos 2C
    1.658 mmboe recursos 2C
  • capacidade líquida instalada
    144 kbpd capacidade líquida instalada

Produção

A produção atual da Galp está concentrada no Brasil e em Angola, tendo a produção média diária da Empresa em 2018 sido acima dos 100 mil barris.

A produção working interest tem vindo a aumentar, refletindo o incremento da produção proveniente do Brasil onde atualmente se encontram nove unidades em produção no projeto Lula & Iracema. Este aumento terá tendência a continuar com a expansão das atividades no país nos próximos anos.

Evolução da produção WI - kboepd

Recursos e reservas

O crescimento sustentado da Galp é assente numa forte base de reservas e recursos de petróleo e gás natural, os quais são sujeitos a uma auditoria independente por parte da DeGolyer and MacNaughton (DeMac).

Evolução dos recursos e reservas - mmboe

Em 2018, as reservas provadas e prováveis (2P) aumentaram 1% face ao final do ano anterior, para 755 mmboe, uma vez que as revisões em alta no Brasil, nomeadamente nos blocos BM-S-11/BM-S-11A, mais do que compensaram a produção durante o ano. As reservas de gás natural aumentaram e representavam 21% das reservas 2P totais.

Os recursos contingentes 2C aumentaram 23% face ao período homólogo (YoY) para 1.658 mmboe, refletindo sobretudo a revisão da solução considerada para o desenvolvimento do projeto Rovuma LNG, em Moçambique, e as adições no bloco BM-S-8, no Brasil, após o aumento da participação da Galp para 20%. Os recursos de gás natural aumentaram 49% YoY e representavam 51% do total.

Os recursos prospetivos numa base risked situaram-se nos 623 mmboe no final do ano, um aumento de 57 mmboe YoY, refletindo sobretudo as adições relativas à aquisição de participações no Brasil, o que compensou o decréscimo por transferência de recursos prospetivos para contingentes das novas descobertas realizadas no Brasil bem como pela devolução de áreas em Portugal durante o período.